Necesidade de Urgência
Bom, direto ao ponto. Estou nervoso! Ansioso! Amanhã começo minha viagem e sinto duas coisas ao mesmo tempo: primeiro, a tão urgente necessidade de experimentar o novo, o escape do peso, a solução contrária ao que sinto a cada dia. Segundo, obviamente... o oposto a tudo isso.

Não sei se é medo, já que tal palavra exprime um forte significado. Mas um entrave, um desconforto, como se estivesse indo de encontro a tão preciosa solução... a verdade com a qual almejo. Sinto-me na contra-mão da estrada da vida.

Fico repetindo (em voz alta às vezes) que não farei nada que não me agrade, que vou me divertir... Enfim, já não encontro palavras para descrever essa coisa que persigo, mas que entendo e sinto. A verdade é que estarei na companhia de algumas pessoas que não conheço. Vou a um lugar para obter conforto, quando me sinto exatamente ao contrário por saber que estarei ao lado de desconhecidos.

Agora estou em um ônibus para chegar em casa e preparar tudo para amanhã. Que tudo ocorra bem. Assim seja!“Eu quero me sentir liberto” eu penso e digo sozinho depois de lembrar da viagem do personagem Drew (Orlando Bloom) em “Tudo Acontece em Elisabethtown”. Ele faz uma viagem de autodescoberta e expurga seus demônios, os medos. Da mesma maneira que ele, tento e fico na expectativa de livrar-me de meus demônios e medos ao escrever sobre tudo isso que disse.

Em “Poder Além da Vida”, o aprendiz de Nick Nolte reflete ao dizer que o destino ao qual se dirige não é importante e sim a jornada... E somente neste caminhar que se encontra o mais importante a ser aprendido. Por muitas vezes alegrava-me mais com o ato de viajar do que chegar a um lugar. Como se o fato de estar em movimento (literalmente) trouxesse conformidade, paz ou fuga de algo indesejado.

“Tão longe de chegar, mas perto de algum lugar” é do que sempre me vem à mente.Engraçado, com certeza soará como loucura, mas Heródoto na Antiguidade afirmava que tudo está em movimento. Era somente preciso observar a Natureza e os Homens. Anos mais tarde, a Física diz o mesmo com pontos mais complexos, ligados ao Universo. Eu disse que era viagem!

Do que ‘fujo’ já nem sei mais ao certo, mas que com certeza está lá. Encaro esta nova oportunidade de passar cinco dias fora como um meio de lavar a alma, um recomeçar e talvez uma coisa a ser cumprida. Necessidade...?

Estou cansado, saturado de problemas alheios que acabam virando preocupação para mim. Ouço de muitos que estão de saco cheio disso e daquilo. Eu, passivo, assisto isso como se pagando penitência. Além disso, fisicamente estou desgastado. Não durmo, estou com dores no corpo, minha cabeça lateja, meus olhos ardem e meus músculos não relaxam.

Música é a solução, desencadeando sensações de conforto e despertando lembranças ou vontades tão negadas a mim. Nestes breves minutos de idealização à trilha sonora de minha vida... Eu sou livre.
4 Responses
  1. Cadu Says:

    Porra...

    Escreveu pra karalho!
    Muleeeke...rssssssss...quem lê parece que tu vai viajar, mudar de país...
    5 dias fora.

    Rsssss...eu te entendo, cara!
    Ou não...mas enfim...

    Parabéns, leke...
    Muito bom texto mesmo...

    Mas...se libertou ou não se libertou?
    Hahahahahaha...

    Abraço, meu irmão.


  2. Taís Says:

    oi ^^

    comentar.. ahnn.. nao sei oq comentar...

    nao dah p desejar boa viajem.. ela jah foi..

    e enfim...
    "Heródoto na Antiguidade afirmava que tudo está em movimento"!!!!!

    kkkkk..

    alias concordo com seu amigo, tu escreveu d+.. da proxima ce bota umas ilustrações coloridas, q ai eu non precisu lê.. ^^ hihih.. zuera.


    bju grande p vc pessoa!!!!


  3. Anônimo Says:

    Passei aqui Efra!
    Um bjo


  4. kaka Says:

    OI efra o comentário anterior foi meu hauhauahua
    kaka
    bjs