Batman - O Cavaleiro das Trevas
Você pensa que Batman Begins é a melhor adaptação do homem-morcego no cinema, então vá correndo a sala de exibição mais próxima, porque O Cavaleiro das Trevas vai surpreender. O filme não é para crianças e tampouco o Coringa é um palhaço idiota! A chave para tamanho apelo ao filme é o intricado plano do Coringa para o herói e cidade, as atuações (com destaque louvável a Heath Ledger) e outros elementos que se fazem notar, como o plano de tomadas aéreas, explosões e efeitos pirotécnicos.

A Trama
Logo aos primeiros minutos damos conta de que este não é mais uma história de super-herói. Ao começo vários homens fortemente armados com máscaras de palhaço executam um plano de mestre ao assaltar um banco, e claro, tudo orquestrado magistralmente por ninguém menos do que o Coringa. Na busca por ser o maior gênio criminal, tem a idéia de eliminar Batman e tomar o controle de tudo. O personagem está obcecado em desmascarar o cavaleiro negro a todo custo, e a todo custo mesmo. Ele libera em verdadeiro caos na cidade na cidade de Gotham, e James Gordon juntamente com o promotor Harvey Dent assim como toda policia movimentam-se para saber os próximos passos do palhaço.

Harvey Dent
Do outro lado da moeda, Harvey Dent (Aaron Eckhart com muita boa atuação) um promotor que busca justiça visto aos olhos da cidade como o homem que pode livrar Gotham de sua Quimera, o crime! É uma figura pública muito conhecida que sofre pressão em busca da diminuição da criminalidade, mas que tem ao seu lado a então namorada Rachel Dawes (Maggie Gyllenhaal).

O Triangulo Amoroso
Rachel segue com a vida pessoal e profissional, e agora se relaciona com Dent. Bruce tenta digerir o infortúnio e tenta recomeçar com a jovem já que devido a iminente queda da criminalidade, pensa em deixar de lado a máscara e manto negro e ter uma vida normal. Acredita piamente que Harvey é o verdadeiro herói por seus feitos com a Lei.

Bruce Wayne/Batman
Aos olhos da sociedade graúda de engravatados com suas intermináveis festas, Wayne é um garanhão festeiro. Mas na verdade ele é como James Bond não só por causa dos caros ternos e garotas, e sim por ter a ajuda de Lucius Fox (Morgan Freeman) que age como um verdadeiro Q, apresentando novas armaduras e utensílios. Como se não bastasse, é também uma mistura de Ethan Hunt (da trilogia Missão Impossível) por loucas acrobacias quando trajado de Batman (como pular de altos prédios na China), e quando sobra um tempinho faz o melhor estilo Gil Grissom da série CSI ao analisar balística.

As cenas de ação em que Batman vai até a China buscar pelo mafioso disfarçado de empresário Lau (Ng Chin Han) é de fazer o queixo cair. As ações de Batman são executadas perfeitamente como a de Coringa ao início da fita quando rouba um banco, contudo é maior e melhor. Além disso, temos a boa e velha pancadaria (o justiceiro luta contra mais de cinco homens, um por um) coisa que sempre deixou a desejar nos filmes do morcegão até Nolan e Bale se juntarem e fazerem parte deste universo.

O ator Heath Ledger, a galinha dos ovos de ouro
É fácil e difícil ao mesmo tempo descrevê-lo, pois parece que não há adjetivos o suficiente para tentar explicar a sua persona, embora pareça que todos os possíveis adjetivos e qualidades se enquadrem perfeitamente na linguagem corporal: Maquiavélico, genial, mórbido, sinistro, obscuro, um vulcão em erupção constante e insanamente divertido e assustador. Por vezes chega aa roubar a cena do colega Bale, contudo este último muitíssimo competente na atuação, até porque é de fato quem melhor até hoje encarna o herói. O seu embate contra seu oposto, Batman, se dá em níveis não só físicos, mas também psicológicos e filosóficos, já que o herói decaído vê-se obrigado a ir de encontro a seus princípios.

Chistopher Nolan brinda aos fãs e não fãs com Batman - O Cavaleiro das Trevas um filme de clima sombrio, com muita ação e um pouco de reviravoltas, porque é um filmaço. É admirável o poder em fazer um homem de carne e osso, que sangra tornar-se algo maior, um símbolo, uma idéia, mito, uma força a ser temida. Igualmente grandiosa a mitologia construída em torno do homem morcego é a construção da morbidez do Coringa. Com todo respeito às atuações do passado de Cesar Romero e Jack Nicholson, mas esqueça-as já que Heath Ledger está tinindo! Depois de ver o filme realmente não soa absurdo uma possível indicação póstuma ao Oscar de Melhor Atuação.
Coitada da alma incumbida de roteirizar os rumos pós The Dark Knight, já que terá um homérico trabalho, assim como sortudo (e azarado???) o ator que terá o grande fardo de manter-se tão bom ou melhor que Ledger ao vivenciar o palhaço psicopata. Dá pra contar nos dedos as sequências de filmes que deram certo e este novo do morcegão com certeza é uma delas!
3 Responses
  1. Rafael Ramos Says:

    Opa! Opa!
    Fala Efra
    Já soube que esse filme é D+
    Tô louco pra ver
    Pena que o Heath Ledger morreu
    Depois do cowboy gay, ele nos deu um outro olhar do Coringa
    Deixou os outros Coringas no chinelo ou, como diz um amigo meu, no bolso
    Ah! Como sempre, seu blog está nota 1000


  2. o coringa estava facinante, no minimo!


  3. Efra, um dia virei no seu blog pra fazer uma coletanea de filmes que verei...

    Só filmaço hein...

    Esse do Batman parece estar uma boa aceitação... Me sinto obrigado a ver.

    Abs.....